Páginas

sábado, 4 de março de 2017

NÃO, SR. COMUNA

Você está cansado de ouvir sempre as mesmas falácias sendo ditas por boa parte dos simpatizantes das ideias esquerdista? Não sabe como responder a elas? Faltam-lhe dados e argumentos consistentes para que você possa desmascarar as alegações deles? Se você respondeu positivamente a essas indagações, este livro foi escrito para você. No livro 'Não, Sr. Comuna!' você verá 23 falácias ditas pelos simpatizantes das ideias da esquerda serem desmascaras, com argumentos consistentes, baseados em fatos, dados e autores gabaritados. Ao final da leitura do livro, os leitores possuirão uma sólida base teórica para não acreditar nos engodos esquerdistas abordados nos 23 capítulos. E terão subsídios para transmitir com propriedade os conhecimentos adquiridos nesta obra sempre que quiserem fazê-lo.

domingo, 4 de dezembro de 2016

O BRASIL E O MUNDO CHORAM O TRÁGICO ACIDENTE DA CHAPECOENSE!

O trágico acidente que vitimou 71 pessoas, na madrugada de 29 de novembro, levava a equipe da Chapeacoense, no Vôo charter da LaMia, operado pela companhia com a identificação LMI2933, a serviço da Associação Chapecoense de Futebol proveniente de Santa Cruz de La Sierra, Bolívia, com destino a Medellin, Colômbia, caiu próximo ao local chamado "Cerro El Gordo" ("Monte O Gordo", em livre tradução. Era exatamente 01h15m, hora de Brasília.
A aeronave levava 77 pessoas a bordo, tendo por passageiros atletas, equipe técnica e diretoria do time brasileiro da Chapecoense, jornalistas e convidados, que iriam a Medellin, onde o clube disputaria a primeira partida da Final da Copa Sulamericana contra o Atlético Nacional. Apenas 6 pessoas sobreviveram.
Dos 71 mortos, 21 eram jornalistas brasileiros (incluindo o assessor de imprensa da Chapecoense), oito eram membros da diretoria (incluindo o presidente do clube e um convidado), dezesseis eram da equipe técnica (incluindo o médico da equipe), dezenove eram atletas e sete eram tripulantes; dos seis ocupantes que sobreviveram, quatro eram passageiros e dois eram tripulantes. Dos 4 passageiros, 3 são jogadores da Chapecoense e um é jornalista. Pelo total de vítimas, esta tragédia torna-se a maior da história de uma delegação de futebol no mundo, e a maior do jornalismo brasileiro.
 Essa foto foi o último registro da delegação da Chapecoense antes do embarque no vôo
LMI2933,  da empresa LaMia. Ao que tudo indica, o piloto, que era também dono da aeronave, foi o responsável pela trajédia. Segundo a fabricante do avião da LaMia, a empresa britânica BAE Systems, a aeronave poderia voar pouco menos de 3.000 quilômetros, até que seu combustível terminasse. O voo da Chapecoense, porém, partiu da cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra, localizada a cerca de 2.975 km de Medellín, o destino final da viagem. De acordo com as normas vigentes, a aeronave deveria ter combustível suficiente para pelo menos mais 30 minutos de voo e para chegar até uma opção B de aeroporto – Bogotá, no caso.
A aeronave pilotada por Manuel Quiroga ainda precisou esperar a descida de outro avião, que havia solicitado autorização para pouso. Tudo indica que, sem combustível suficiente, o avião tenha sofrido uma pane seca e caído na mata colombiana, a menos de 20 quilômetros de Medellín.
Nesta sexta-feira, surgiu uma nova suspeita, em relação ao plano de voo. De acordo com relatos de Freddy Bonilla, secretário de segurança aérea da Colômbia, ao jornal colombiano El Tiempo, a LaMia fez um percurso maior do que o previsto.  A companhia teria relatado à agência colombiana que sairia de Cobija, na Bolívia, a cerca de 2065 quilômetros de Medellín, o destino da aeronave, distância suficiente para o combustível máximo do modelo. Investigações dos técnicos da Colômbia, Bolívia, Inglaterra e Brasil deverão em breve dar respostas precisas.
 Sob um clima de forte emoção e com grande participação popular a cerimônia em homenagem às vítimas do acidente aéreo na Colômbia com o time da Chapecoense foi encerrada por volta das 14 horas do dia 03/11 na Arena Condá, em Chapecó. Falaram na cerimônia – que contou com a presença do presidente Michel Temer e do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo - o presidente em exercício da Chapecoense, Ivan Tozzo, e o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon.
Um dos destaque do evento foi a mensagem enviada pelo papa Francisco, cujo texto foi lido durante a cerimônia pelo bispo de Chapecó (SC), dom Odelir Magri. Consternado pela trágica notícia do acidente na Colômbia, o Papa pede que sejam transmitidas suas condolências e sua participação na dor de todos os enlutados. Ao mesmo tempo, pede ao céu conforto e restabelecimento para os sobreviventes e coragem e consolação para todos os atingidos pela tragédia", diz a mensagem.
O presidente da Fifa, Gianni Infantino, em discurso no final, ressaltou o “momento de dor”, e que não havia palavras que pudessem diminuir o sofrimento dos que perderam entes queridos no acidente. “Quero deixar aqui um abraço solidário de todo o mundo do futebol e dizer que a Fifa está do vosso lado, não só hoje mas sempre. Força Chape, somos todos brasileiros, somos todos chapecoenses”, disse Infantino. A forte chuva que caiu em Chapecó na manhã não espantou o público que aguardou desde cedo a chegada dos corpos das vítimas do acidente aéreo na Colômbia com o time da Chapecoense. Os corpos chegaram por volta das 12h25 ao estádio, depois de um cortejo que percorreu as ruas da cidade. As arquibancadas ficaram lotadas de torcedores e populares que, emocionados, se abrigam debaixo de capas e guarda-chuvas.
Em várias partes do estádio via-se faixas em agradecimento ao povo da Colômbia, país onde ocorreu o acidente e que prestou o atendimento e o resgate das vítimas. Na última quarta-feira (30), uma cerimônia muito emocionante em homenagem às vítimas foi realizada no estádio de Medellín, exatamente no horário em que seria disputada a final da Copa Sul-Americana. Alguns torcedores levaram à Arena Condá, inclusive, a bandeira colombiana. "Colombia, gracias por todo", é o que diz uma das faixas. Outra, em inglês, diz "A todo mundo, o que nos resta é agradecer".
"O carinho que eles [colombianos] tiveram com todo o povo chapecoense, com todos os brasileiros, foi muito comovente. Por mais que a gente queira demonstrar o quanto estamos gratos, não há palavras para dizer o quanto estamos hornados por tê-los como irmãos, vizinhos. Eu acho que Deus colocou uma nação muito nobre, muito educada e cheia de princípios para ensinar para todo mundo a fraternidade e a solidariedades. Esses professores são os colombianos", disse Gustavo Braun, corretor de seguros que levava uma das faixas. 


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

BAILE DO HAWAII DO SANTANA ESPORTE CLUBE DIA 5 DE FEVEREIRO

SEXTA-FEIRA 5 DE FEVEREIRO será a volta do nosso tradicional BAILE DO HAWAII, com direito a canoa na piscina recheada de frutas tropicais, carnaval dos bons tempos, hawaianas lindas vestidas a caráter, e outras surpresa mais! Compre já sua mesa antecipada pelo número/Whatzapp 991872759 com a Kátia Abrantes.

domingo, 8 de março de 2015

SANTANA PODE PERDER O TRANSBORDO DO PETRÓLEO PARA ITAQUI.

O porto de Santana é mais próximo, mas a Petrobrás poderá puxar o petróleo da costa do Amapá para o porto de Itaqui, no Maranhão. Precisamos de um trabalho forte de nossos políticos em Brasília para evitar esse desperdício. O petróleo está no nosso quintal, mas o lobby de políticos maranhenses poderá mudar o curso para Itaqui, no Maranhão. 
 O Amapá pode se beneficiar socialmente e dar um salto econômico na sua história. A primeira vantagem está na divisão dos royalties – retribuição financeira paga mensalmente aos entes governamentais de onde ocorre a extração do produto. Atualmente, 10% do faturamento bruto de cada plataforma são rateados entre a União, os Estados e os municípios. No Amapá, as cidades beneficiadas diretamente com os royalties da produção na costa são: Oiapoque, Calçoene, Amapá, como municípios confrontados; e Pracuúba e Tartarugalzinho, como mesorregiões confrontadas.
Santana pode receber instalações de apoio para embarque e desembarque da produção, alojamentos, transbordo, entre outros serviços de infraestrutura que irão abrir um leque de opções para a cidade e seus habitantes. Essa infraestrutura e logística em potencial abrem oportunidades para o Estado se tornar um provedor nos mais diversos serviços: portuário, com atividades de carga e descarga, apoio operacional, manutenção industrial, hospedagem de trabalhadores, entre outros. Com planejamento correto, o Amapá  se transformará em uma forte base de apoio logístico para a indústria petrolífera. Estudos comprovam isso.

sábado, 6 de dezembro de 2014

TRISTE CENA


Foto: Fotógrafo do O Globo flagra menina de cinco anos tomando banho em bueiro sujo no Centro do Rio. Comentei a respeito dessa triste cena no meu blog: http://goo.gl/dB2EHm O que você pensa disso?

Foto:  Marcelo Piu/O GloboFotógrafo de O Globo flagra essa triste cena de uma menina de cinco anos tomando banho em bueiro sujo no Centro do Rio. O que você pensa disso?

domingo, 9 de novembro de 2014

WALDEZ GÓES É O NOVO GOVERNADOR DO AMAPÁ

Mais votado no primeiro turno, Waldez Góes, ex-governador e candidato pelo PDT ao governo do Amapá, foi confirmado vencedor no segundo turno. No primeiro turno, Waldez, que foi governador do Amapá entre 2003 e 2010, conquistou 42,18% dos votos válidos, contra 27,53% de Capiberibe.
Waldez obteve 60,6% dos votos válidos contra 39,4% de Camilo. Foi a vitória da vontade soberana do povo, que já não aguentava mais os desmandos do governo Capiberibe. Waldez vence pela terceira vez uma eleição para governador, e tem a grande chance de corrigir erros do passado, praticados por seus acessores. Que Deus abençoe sua gestão, para o bem do Amapá.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

JORY OEIRAS É DEPUTADO ESTADUAL E ROBERTO GÓES É FEDERAL

Meus amigos JORY OEIRAS e ROBERTO GÓES se elegeram, respectivamente, DEPUTADO ESTADUAL e DEPUTADO FEDERAL.  Fizemos uma campanha vitoriosa, baseada na transparência e determinação, levando o bom nome dessas duas pessoas, que nasceram para fazer política!
Roberto foi eleito com 22.134 votos, o deputado federal mais votado das eleições 2014, e Jory foi eleito com 5.721, o deputado estadual mais votado de Santana.
Que Deus ilumine seus mandatos com sabedoria, transparência e discernimento.
Aristeu Valente, Teka Góes, Jory Oeiras e Handerson Problema.

Na residência de amigos, com Lacimir Andrade, Roberto Góes, Aristeu Valente e Queiroga.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

ESTÁDIO ZERÃO É REINAUGURADO



Inaugurado em 1990 pelo governador Gilton Garcia, o estádio Milton de Souza Correa, o Zerão, foi reinaugurado dia 15 de fevereiro, com uma reforma, mas continua do mesmo tamanho que estava na inauguração, faltando ainda as outras 3 arquibancadas, de acordo com o projeto original. Na preliminar a seleção amapaense de master venceu a seleção de master do Rio de Janeiro por 2 a 1.  Na partida principal a seleção brasileira sub-20 goleou a seleção amapaense por 5 a 1.

AEISTEU VALENTE EM 2005 NO SEAMA

Tempos de faculdade de direito no SEAMA. By ARISTEU vALENTE

ARISTEU VALENTE IN FAMILY

Da esquerda pra direita: Aristeu Valente, minha mãe D. Meire, meu filho Bruno Valente e o menor Belo.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

CONFRATERNIZAÇÃO COM OS AMIGOS DA FACTORY E SEXTA 40 GRAUS COM ARISTEU VALENTE

Clark, Aristeu Valente e Carlinho Lubiota. Estávamos na confra de final de ano, que meu amigo Jory Oeiras promove todo finalzinho de dezembro, com a turma da Sexta 40 Graus no Santana Clube, e da Boate Factory.

DAKA OURO, ARISTEU VALENTE E O MAESTRO MANOEL CORDEIRO

Foto de um sábado festivo e de comilança na casa do Dr. Palheta, uma figuraça.  Da esquerda pra direita: Edilson Valente, Aristeu Valente e Manoel Cordeiro.

ABISA NA GESTÃO DE ARISTEU VALENTE

Reunião da ABISA-Associação dos Blocos Independentes de Carnaval e Micareta de Santana-AP, sempre acaba assim, churrasco, cerveja e festa, com os amigos e associados Antonio Carlos(FLANÁTICOS S/A), Junior Mourão(RODALATINHA), Leandro Goiano(SOBERANO) e Lacimir Andrade(CARCARÁ). By Aristeu Valente.

ARISTEU VALENTE NOS BONS TEMPOS DE SANTANA CLUBE

Essa foto me remete aos anos 90, um sábado de verão, após a SEXTA 40 GRAUS, eu ia relaxar na piscina do SANTANA ESPORTE CLUBE, ficava de bubuia, recarregando as baterias para a próxima semana. By Aristeu Valente 

quinta-feira, 28 de março de 2013

MARÉ ALTA CAUSA DESTRUIÇÃO NO PORTO DE SANTANA, E 6 PESSOAS ESTÃO DESAPARECIDAS

Pier flutuante da empresa Anglo Ferrous ficou destroçado, e 6 fucionários estão desaparecidos.

Um acidente ainda não esclarecido, no Porto da cidade de Santana-AP, deixou um rastro de destruição em toda a extensão daquela área, quando uma grande maré se formou e em questão de segundos destruiu lanchas e catraios, um posto flutuante de combustível e trapiches, que foram arrastados pela força da água, o pier flutuante da empresa Anglo Ferrous foi destroçado e a empresa, no momento do acidente, fazia o carregamento em um navio com 45 mil toneladas de ferro que seriam exportadas para a China. A empresa informou que o acidente foi um fenômeno natural causado por uma forte onda,  provocando o desmoronamento da terra firme na frente do pier. Com o desmoronamento da terra, 4 caçambas e uma pá carregadeira foram levadas pela água, e 6 funcionários da empresa estão desaparecidos. O serviço de meteorologia do Instituto de Pesquisas do Amapá informou que havia previsão de ondas ondas altas neste período de lua cheia e lua nova, capazes de derrubar estruturas frágeis. A defesa civil e o Corpo de Bombeiros, estão mobilizados nas buscas aos desaparecidos. Essa é a segunda vez que acontece um fenômeno dessa natureza no porto de Santana. Em 1993 outra maré de grande escala  causou destruição parecida com esta, tanto no porto quanto na Ilha de Santana, que fica localizada em frente a cidade de Santana. Nas 2 vezes que aconteceu, as pessoas que presenciaram o sinistro afirmam ter visto o fundo do rio, quando a maré ia para fora e depois voltava, com grande velocidade, causando espanto e surpresa a todos. 


Lanchas naufragaram e trapiches destroçados.
Barcos com carregamentos de açaí foram para o fundo com a grande maré.
 O pier flutuante da Anglo Ferrous virou um monte de ferro retorcido.



sexta-feira, 22 de março de 2013

FUMAÇA BRANCA NA CAPELA SISTINA: HABEMUS PAPAM

Papa Francisco acena ao chegar ao encontro com jornalistas no Vaticano, neste sábado (16) (Foto: Vincenzo Pinto/AFP)


Argentino, Francisco é o primeiro papa latino-americano e das Américas, um jesuíta intelectual que modernizou a conservadora Igreja Católica argentina.

Conhecido até esta quarta-feira como Jorge Bergoglio, de 76 anos, Francisco é citado como um homem humilde que negou a si mesmo os luxos que foram antes desfrutados por outros cardeais em Buenos Aires. Há informações de que no último conclave, em 2005, ele ficou em segundo lugar em várias rodadas de votação antes de desistir de concorrer na disputa que elegeu Bento 16 Grupos de partidários seguraram bandeiras argentinas na Praça de São Pedro enquanto Francisco, vestido com uma simples roupa branca, fez sua primeira aparição pública como papa. "Irmãs e irmãos, boa noite", disse antes de fazer uma referência a suas raízes latino-americanas, região que tem cerca de 40% dos católicos romanos do mundo.
Bergoglio frequentemente pegou o ônibus para ir ao trabalho, cozinhou suas próprias refeições e visitou regularmente as favelas que cercam a capital argentina, Buenos Aires. Ele considera que o alcance social, em vez de batalhas doutrinais, é a questão essencial da Igreja. Ele acusou colegas da Igreja de hipocrisia e de esquecer que Jesus Cristo banhou leprosos e alimentou-se juntamente com prostitutas. "Jesus nos ensina de outra forma: Saiam. Saiam e compartilhem seu testemunho, saiam e interajam com seus irmãos, saiam e peçam: Tornem-se o mundo em corpo assim como em espírito", ele disse a padres argentinos no ano passado.
O Papa Francisco começa seu papado dando claros sinais de humildade e sabedoria. 
Glória a Deus nas alturas, e Paz na Terra aos homens de boa vontade!
Seja bem vindo, Francisco! A igreja precisa de um Papa como você!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

MEU PAI, JOSÉ DE OLIVEIRA VALENTE, FOI AO ENCONTRO DE DEUS

Deus levou meu querido e amado pai, Sr. JOSÉ DE OLIVEIRA VALENTE, à 1:30hs da madrugada da última terça-feira, 19/02/2013, vítima de infarto do miocárdio. Filho caçula de uma família de 9 irmãos, homem religioso temente a Deus, reto e de caráter como poucos, meu pai nasceu no Rio Curuçá, município de Mazagão, em 19/03/1931, e começou a trabalhar ainda com 9 anos  de idade, no seringal, junto com seus irmãos e seu pai, o Sr. Manuel Pinto Pereira Valente. Sua mãe, Júlia de Oliveira Valente, faleceu quando ele ainda era criança, deixando sua criação e educação por conta de suas irmãs Neném e Santinha, a quem ele sempre tratou com segunda mãe. Aos 19 anos saiu pela primeira vez do interior de Mazagão para a cidade de Macapá, e trabalhou como braçal no Governo Janarí Nunes, ajudando na construção da praça e da Escola Barão do Rio Branco. Líder nato, tinha apenas o segundo ano primário, quando resolveu voltar para o interior 2 anos depois, e comprou de seu pai uma canoa movida a remo de faia, começando a trabalhar com regatão pelos rios da Amazônia, negociando produtos naturais, como castanha-do-Pará, Látex, balata, couros de animais, etc...passando depois para canoa a vela. Homem incansável nas suas atividades, não media esforços para alcançar seus objetivos, passava em torno de 15 dias para fazer uma viagem a Belém, e mais 15 para voltar. Eram tempos difíceis, mas sua determinação em vencer na vida superaram qualquer obstáculo e acidentes de percurso, incluindo naufrágios, explosões em alto mar que, com sua astúcia e velocidade de pensamento, conseguia superar. Quando comprou seu primeiro barco a motor, passou a comercializar café até para o exterior, chegando até a Guiana Francesa e Paramaribo, verdadeiras viagens de aventureiro, com sua tripulação escolhida a dedo, que também cruzavam com ele os rios e mares do norte e nordeste deste Brasil. Pioneiro no comércio de Santana, no final dos anos 50 José Valente, junto com seus irmãos Antônio e Raimundo, se estabeleceu na Ilhinha, localizada em frente à Ilha de Santana, com   bar e comércio, depois passou para a Ilha de Santana, onde fundaram a firma Valente & Irmãos Ltda. 
Extremamente emotivo e carinhoso com todos, mas em especial com filhos, esposa e a família, ele foi pai pela primeira vez de SÉRGIO, 5 anos antes do casamento. Casou com minha mãe, a Sra. MARIA MEIRE FERREIRA VALENTE, em 1962, com quem teve 3 filhos, ARISTEU, GLÓRIA E LÉIA. No início da década de 60, aproveitando o movimento de instalação da ICOMI, passou para a então Vila de Santana, montando um comércio sortido próximo ao porto, depois apartou a sociedade com os irmãos, mudando em definitivo para a Av. Santana, quando montou uma loja de nome CASA SÃO JOSÉ, que seria a primeira naquela avenida e na então vila, sendo também o primeiro beneficiado pela energia da ICOMI. Viajou neste Brasil de norte a sul trazendo novidades para sua loja, principalmente de S.Paulo, onde era bastante conhecido pelos  empresários da capital paulista. Mesmo já estabelecido e estruturado com sua grande loja, ele continuou as viagens comercializando produtos naturais da amazônia. Em 1973, JOSÉ DE OLIVEIRA VALENTE recebeu o título de Empresário do Ano do então Território Federal do Amapá, e por vários anos recebeu também do Governador Aníbal Barcellos o título de maior contribuinte individual de ICMS do Território, era na época também a maior loja do Território, e vendia de tudo. Nos anos 80 instalou uma indústria de beneficiamento de látex na Ilha de Santana, comercializando seus produtos com a fábrica de pneus Goodyear do Brasil Ltda, e outras indústrias de balões do interior de S.Paulo. Abriu mias 2 filiais da CASA SÃO JOSÉ em Santana, e 3 postos avançados de comercialização de látex e castanha do pará  municípios de mazagão e Laranjal do Jarí. Seus barcos, S. Rita, N. S. Nazaré, Apollo 11, São Tiago, Brasileira, Brasília, Miss Cajarí, Valente e Aristeu, cruzaram os rios da amazônia até meados de 90 comprando produtos naturais. Meu pai parou com sua vida de empresário quando , depois do segundo AVC, os médicos recomendaram que ele evitasse sua vida de alta rotatividade no trabalho, para que pudesse ter mais qualidade de vida.  
Dizia sempre: "Tudo ness vida passa, só amar a Deus que não passa!"
"Noite traiçoeira
Que levou nosso bem mais precioso
A saudade é grande demais,
a dor é quase insuportável
dor que não cessa, dor que não dá trégua...
Pai, meu amado pai, porque fostes assim tão de repente?
Tua marca está viva em cada canto desta casa,
tua história está escrita em cada esquina desta cidade,
deste Amapá, e em alguns lugares deste país e fora dele, mas...
Porque porque partistes assim meu querido pai?
Tu fostes e és nosso melhor exemplo de vida, de homem reto, de caráter, pai de família exemplar, nunca deixastes faltar nada para nenhum de nós, pelo contrário,
pra mim destes até mais do que eu merecia...
Fostes mais que um pai de família, fostes esposo dedicado, amigo, companheiro de todas as horas, exigente na educação e criação dos filhos, mas um amigo de todas as horas, brincalhão, um sorriso quase inocente, acolhedor, falavas palavras de carinho e afeto todo dia e o dia todo...tinha todo o tempo do mundo para ficar com filhos, netos e bisneto, contador de intermináveis histórias dos tempos das navegações, dos mares, dos rios , do interior, que tu tanto amava...
A lembrança é constante de tuas histórias, desde a tua infância, o início de tua caminhada aos 9 anos na seringa, depois no regatão, depois no comércio de castanha, depois no comércio em geral... uma vida dedicada ao trabalho...ah o trabalho, que tu fazias com tanto prazer e dedicação, fosse no interior mais longínquo, ou em tuas viagens por esse Brasil afora, e sempre me levavas contigo, da mesma forma que ajudavas tantas pessoas, tantas que muitas nem conhecemos, mas que sempre nos encontram pra falar alguma coisa boa de ti...são tantas histórias, meu pai, que denotam tua simplicidade e humanidade de teu caráter...
Pai, meu pai querido e amado, sou egoísta em dizer que ainda não era a hora de partires, mas Deus quis assim, Ele precisou de ti ao lado D'ele, somos pequeninos demais para entender este momento tão difícil e demasiado sofrido para todos nós, familiares, amigos e conhecidos, mas lá na frente saberemos que tua partida não foi em vão. Ainda te vejo sentado em tua mesa redonda lá no fundo da sala fazendo tuas orações, conversando com Deus, todo santo dia, e lendo o Salmo 23 que, na sua última frase diz: "...e habitarei na casa do Senhor por longos e longos dias..."
Que seja feita a vontade de Deus!"

ARISTEU VALENTE